Um Ação de Amor e Fé

Nós, os Gideões Missionários da Última Hora, chegamos ao grande Amazonas no dia 25 de maio de 1985, pregando o Evangelho e posteriormente enviando e mantendo missionários, tanto nas cidades como no interior. Porém, começamos mesmo a trabalhar na área social dois anos depois, no ano de 1987, com um pequeno barco de apenas 13 metros.

Mas para nós era um grande começo, éramos pioneiros, sob nossa ótica, estávamos fazendo uma gigantesca obra.

A quantidade de pessoas, isso é, o número de comunidades que atendemos varia muito, conforme o tempo e a distância de uma comunidade para outra. Dentro de nosso cronograma é em torno de cinco comunidades por viagem. Exemplo: em cada comunidade a que chegamos, de acordo com o número de habitantes, atendemos em média de 100 a 200 pessoas. Por incrível que pareça isso leva até dois dias.

Se pararmos para analisar concluiremos que fazemos um grande trabalho, porque nosso barco, o Gideão VI, sai duas vezes por mês, dependendo dos recursos e da previsão do tempo que, como todos sabem, é um lugar onde chove constantemente.

A nossa missão, além de pregar o Evangelho, é conscientizar a comunidade ribeirinha das profilaxias existentes. Despertar as comunidades para o perigo das doenças através de palestras e de prevenção. Prestar atendimento médico, odontológico e primeiros socorros.

Isso tudo em lugares distantes e isolados da sociedade, às margens de muitos rios e igarapés carentes, onde nascem muitos frutos, resultado do compromisso que vocês mantenedores têm tido com o Senhor.

Nossa missão é essa, pregar, mas cuidar de um povo carente e curar as suas feridas.

Mas para que tudo isso aconteça nos custa muito. Em cada saída do Gideão VI, nosso barco clínico-odontológico, do porto de Itacoatiara, AM, nos custa quinhentos dólares só em diesel.

Para alimentar a tripulação mais duzentos dólares, e os medicamentos para atender essas comunidades varia em torno de duzentos e cinquenta dólares.

É por isso que cada oferta, cada caixa de remédios que recebemos, nos deixa muito felizes.
Mas não ficamos apenas nisso: a nossa meta é pregar o Evangelho, abrir igrejas no meio das matas, doar bíblias, literaturas, roupas e calçados, escovas e cremes dentais, brinquedos e, é claro, muito amor e carinho, além de muitas balas e chocolates.

Nós somos os Gideões Missionários da Última Hora e estamos unindo o Brasil não apenas para evangelizar o mundo e, sim, para oferecer uma vida melhor.